About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

sábado, 2 de julho de 2011

Não sei o que eu quero da vida


Não sei o que eu quero da vida e, às vezes, me desespero. Quando psicólogos vem com aquele papinho de “onde você se imagina daqui a 10 anos” eu surto, porque não tenho imaginação para me ver daqui a 10 dias! Não sei por que caminhos eu quero seguir, por outro lado, sei exatamente por quais não quero, o que não significa que fique menos confusa. Planejar passo a passo metas e objetivos é querer estar sempre no controle de tudo e não admitir que sobre algumas coisas, simplesmente não temos controle! Todavia, não ter ambição ou planos específicos também se torna preocupante, ainda mais quando se vê a vida passando como a paisagem pela janela de um trem...
E se eu soubesse o que eu quero da vida, será que seria mais feliz? Ninguém nasce predestinado, há pessoas que se contentam com o que têm, outras são insaciáveis e já nem sabem o que buscam, mas quem muda são apenas os indecisos, por isso talvez, haja alguma vantagem em não saber o que se quer da vida. Pode ser que estes aparentem ser os menos “seguros” e estáveis, entretanto a experiência adquirida pelo caminho das dúvidas é invejável e só esse tipo de pessoa permite-se a liberdade de recomeçar, zerar o cronômetro e independer-se do que os outros pensam... Pessoas que sabem tintim por tintim o que querem da vida, muitas vezes não vão trocar de cidade, curso, namorado (a), emprego, justamente porque acreditam saber onde querem chegar e isso os tolhe, de alguma maneira. Quem tem vagas idéias, mas não desbravou o caminho vai deixar o cabresto de lado e mudar de rumo, se perceber que isso pode lhe fazer bem. Há pessoas que parecem confortáveis em uma vida pronta e perfeitinha, mas até onde essas pessoas são, de fato, felizes? Será que volta e meia não lhes dá uma crise de justamente desejar fazer outra coisa e não se autorizarem por medo? Medo de perder uma suposta estabilidade, uma idéia de segurança de que conseguiram chegar onde queriam na vida...
Nem sempre precisamos saber o que queremos da vida... Somos metamorfoses ambulantes, a vida não tem roteiro e o que era bom ontem, hoje pode não servir mais. Vamos parar de nos culpar quando tudo parece dar errado... Com flexibilidade e determinação, é sempre possível achar nosso lugar no mundo. Mesmo que não tenhamos a menor noção de onde ele seja.

32 comentários:

Chico de Sá disse...

Mais uma vez, li vários textos mais recentes para me atualizar, visto que tenho andando tão distante da blogosfera. Mas, com as férias universitárias, pretendo voltar com tudo a esse espaço. Sitno falta das citações no Twitter diante de uma nova postagem, pois elas eram referência para que eu nunca deixasse passar nenhum de seux textos.

Esse texto aqui está maravilhoso, assim como os demais. Escreveu com incrível naturalidade e sem estar presa ao ego sobre o assunto que norteia todas as vidas. Ora, é maravilhoso contar para os outros todos os planos de nossas vidas, como se tudo tivesse que seguir um roteirinho planejado, isso é algo que não consigo visualizar. Tenho sim uma lista de objetivos que nunca alcanço, a bem da verdade. De tudo aquilo que planejei no começo do ano, fiz questão de acrescentar nivas linhas, tirar outras...tudo muda a todo tempo, tal e qual voc~ê disse, o importante é estarmos abertos aos novos aprendizados e ás novas experi~encias e buscarmos aquilo que mais nos convém naquele momento, sem esperar que tudo saia da maneira como planejamos. O maior pecado do planejamento é achar que no futuro teremos as mesmas condições que hoje, que o tempo terá congelado.Outro grande erro é as pessoas se aterem tanto a bens materiais a tal ponto de considerar esse como principal fator para dar sentido à suas vidas. E consideram uma vida com ambição o fato de lutar loucamente para obterem esses bens materiais. Pois eu, se me sentir melhor mendigando, assim o farei. Tenho dentro de mim um cara que vai fazer muita loucura nesse mundo, mas que não sairá daqui sem antes ter sido muito feliz..

bjooo...

colibri esverdeado disse...

Que bom ler essa parte final :)

Anônimo disse...

Putz eu estou em depressão constante por causa disso. E juntando pressão da família e sociedade, estou pra surtar... Não sei o que fazer. Não me encontrei na minha vida profissional e nem amorosa. E pior que já estou ficando velho. O tempo tá passando... o tic tac na minha cabeça fica cada vez mais alto. Cobranças e mais cobranças.
Não sei o que será de mim. To desesperado e não sei a quem ou a que recoquer.

Kelly Phoenix disse...

É, eu também não me encontrei, parece que agora que algumas coisas estão começando a engrenar... Um pouco mais tarde que a maioria. E ainda assim, cheia de incertezas. Mas, o importante é não cobrarmos a nós mesmos. Nossos pais vão cobrar porque já tem uma ideia formada do que seria o melhor para nós, a sociedade vai cobrar porque precisa de cada membro contribuindo com seus impostos. Mas, é só a nós mesmos que teremos de prestar contas. Estou começando a acreditar que as respostas vêm sozinhas, naturalmente. Acho que não dá para se estressar tanto e ir vivendo um dia de cada vez...

Dereki Quest disse...

Nossa tava pesquisando sobre a vida no google e achei este blog. Um pouco inspirado nesta situação sei exatamente o que você quis dizer e por fim de madrugada, não achei o rumo de minha vida, mas achei a coragem e a inspiração para escrever, mesmo sem saber o por quê.

Anônimo disse...

Estou com Dereki....pois justamente esse terror tem me atormentado a algum tempo....também não sei o que eu quero da minha vida daqui pra frente...sei o que já tenho mas isso não me torna plena e tão pouco satisfeita....profissionalmente não estou satisfeita e realmente não tem a ver com o salário....também preciso de ajuda e não sei a quem recorrer!

Kelly Phoenix disse...

É, acho que o último parágrafo resume tudo... Podemos saber o que queremos por um momento, mas dali a pouco aquilo já não serve mais... Acho que o jeito é nunca parar de caminhar. Pelo menos, estaremos fazendo o caminho...

Anônimo disse...

Tenho o "demônio da madrugada" que são os meus pensamentos que costumam vir justamente na hora de dormir e essa indagação sobre o que farei da vida é a que me persegue. Adorei o seu texto, diz várias coisas que penso e acrescentou-me mais. Tb percebi que a minha "instabilidade" sobre o que fazer me levou a buscar mais coisas, ser mais curiosa. Fiz até terapia para conseguir resolver essa questão "Onde estarei daqui a 10 anos?", claro que se passaram os 10 anos e eu não soube responder e ainda não sei. Me senti muito bem em ler o seu texto, além disso vc escreve de uma forma gostosa e interessante. Parabéns e obrigada.

Kelly Phoenix disse...

Como é bom ler isso... Mas, com o passar do tempo e a permanência da questão, às vezes eu me pergunto... A gente tem mesmo que saber? Fica aí mais um ponto para reflexão na madrugada, rss... Obrigada pela visita e pelo comentário, volte sempre!

Anônimo disse...

Me diga. Vc acha normal e uma pessoa aos 33 anos ainda nao saber o q quer. Como pode. Eu fiz faculdade de medicina veterinária. Eu era uma boa aluna. Tirava notas boas e tudo. Porem qdo terminei, me deu uma insegurança imensa de atuar. E me tranquei em casa e desisti de tudo. Tinha uma grana guardada e dessa grana q vivo ate hj. Ja trampei em coisa q nao tem nada a ver com vet. Pq qdo faco uns bicos como vet parece q nao sou eu. Fico com muito medo de errar. Sei q é por falta de experiência e tal mais a vdd é q nao sei pq tenho medo de ir atras dela. As vezes acho q nao pertenço a esse mundo. Prefiro mil vezes fazer um trabalho voluntario a fazer meu trabalho e ganhar por ele. O pior q eu preciso trabalhar. So q acho q ainda nao me encontrei naquilo q eu verdadeiramente quero.

Kelly Phoenix disse...

Bem querida, se tem certeza que ama bichos, saiba que nunca poderá errar com eles. Pois, mesmo que algo de imprevisto aconteça, vc vai saber que fez o melhor que pode e tudo o que estava ao seu alcance, e também que, se pudesse, com certeza teria evitado tal infortúnio. Porém, se não sente seu coração bater por essa atividade, reflita que nunca é tarde para dar um novo passo e tentar descobrir o que verdadeiramente te encanta. Só vai perder o medo e ter prazer naquilo que realmente amar e, caso seja a veterinária, vc já tem essa resposta dentro de si e só precisa se enfrentar. Vc pode ter sido criada com inseguranças, com crenças erradas acerca de si mesma, que a fizeram se tornar receosa, porém só depende de vc mesma começar a ver-se como alguém capaz, digna e que merece um voto próprio de confiança. Tenho certeza que nesta ou em qualquer profissão que for desempenhar, dará o melhor de si, e é apenas isso que importa. Experiência, entre outros elementos, só o tempo pode te trazer, mas tomar a atitude para perder o medo é só com vc, e quanto antes fizer, melhor. De todo modo, não se pressione. Às vezes, essas respostas só vêm com o tempo mesmo. Beijão.

Anônimo disse...

voce é Deus? amiga, ou amigo ( sei la quem é vc), fiquei com vontade de chorar. vc deve ser uma pessoa maravilhosa de conversar. amo pessoas inteligentes como vc . Minha prima era assim, perdemos contato. mas sinto falta de pessoas que pensam. O fato delas nao pensarem, nao posso falar tudo que penso , e as coversas ficam tao obvias. Eu sou o cara mais incrivel para fazer um social. Deve ser por que eu ja conto com suas reacoes. olha..... se puder , me manda um e-mail. ( brancotav@gmail.com). gostei de ti.

Kelly Phoenix disse...

E-mail enviado. Seja muito bem vindo e fique à vontade para retornar, grande abraço ;)

Anônimo disse...

Vivo também um conflito interno imenso, fiz faculdade de enfermagem, mto nova por sinal, atualmente estou trabalhando como enfermeira do trabalho em uma empresa. Queria estar feliz, mas não é o q quero pra mim, e pra piorar nem sei o q quero. Sei q as pessoas próximas a mim irão comentar e isso também me preocupa. Preciso trabalhar, mas engolir meu ego de começar em outra coisa, que ganhe menos, parece me sufocar.

Kelly Phoenix disse...

Poxa, querida, é uma situação complicada; acho que já me senti mais ou menos como vc descreveu. Quando acabei a faculdade, há um ano, percebi que não era exatamente o que eu queria ou, que o mercado não era dos melhores. Porém, como a gente já está em uma idade de sair da casa dos pais, fazer a própria vida e, muitas vezes, todos à nossa volta (amigos e colegas da mesma idade) estão constituindo família e patrimônio, mais e mais ansiosos ficamos, e tomar decisões baseando-se nesses parâmetros não dá... No meu caso, percebi que sou apaixonada pelo ensino e pela arte, então resolvi ser professora universitária. Iniciei o mestrado e até agora meus planos estão indo de vento em popa, sei que vou me realizar e não deixarei de mão a publicidade, que é minha formação. Acho que vc precisa refletir sem levar em conta os amigos, os salários, as experiências passadas, mas só onde está agora e onde quer estar adiante. Uma das capacidades mais admiráveis que o ser humano possui é a de recomeçar e, tenha certeza, o recomeço pode ser doloroso, mas sempre vai nos levar muito mais longe do que se tivéssemos apenas parado. Ou continuado sem verdadeira vontade. Boa sorte, desejo que vc encontre seu verdadeiro caminho.

Anônimo disse...

Obrigada por suas palavras, acho que de alguma forma elas me motivam a recomeçar e buscar meu verdadeiro caminho. Um grande abraço!

Tarsila Tenório disse...

Incrível!

Coloquei no Google a frase "o que eu quero da vida" e ele me trouxe a resposta, ou seja, seu blog.
Agora estou em paz.
Obrigada!

:)

Kelly Phoenix disse...

Como é bom ler essas palavras, Tarsila! Fico feliz por vc :)

Obrigada pela visita, volte sempre!

Anônimo disse...

Olá, achei muito bacana este blog..pois vi que não estou tão sozinha e com tantas dúvidas no mundo...que existem outras pessoas assim como eu , na mesma situação..
eu me formei em estética a um ano e meio e estou começamdo a atuar na área, porém, após formada, me deparei com várias situações que nunca imaginei ( claro que temos idéia e noção que as coisas não são nada fáceis no início de qualquer profissão, mas deste jeito que está sendo não imaginava)..não tenho nenhum preconceito com nenhum profissional, mas hoje vejo o quanto na minha área o mercado é injusto...eu estudei muito, gastei muito também, me dediquei..sempre trabalhei durante a faculdade( em outra área) e quando finalmente me formei, gastei um valor rasoável para organizar meu gabinete de atendimento..priorizei as melhores marcas e produtos, aparelhos...pois justamente tentei buscar o melhor para meus clientes..e hoje vejo o quaaaaaanto as pessoas não dão valor à isso..e sim ao preço..fico frustrada em precisar me submeter a valores cobrados por ''profissionais'' ( não estou generalizando) que muitas vezes não possuem nenhuma formação, e saem atendendo, fazendo protocolos de beleza e estética..sinceramente, estou muito desanimada, penso todos os dias na m..... que escolhi fazer navida...minha vontade é de vender tudo, e começar outro curso..qualquer coisa na área administrativa, que sempre há muitas oportunidades..
Tenho MUITAS dúvidas de como será meu futuro...já tenho 29 anos e estou nesta situação..não sei o que fazer..quando tinha meus 20 anos imaginava tudo tão diferente...que nesta idade já estaria casada, com filhos...que minha vida estaria meio ''organizada''...mas hoje vejo que não está nem perto disso...estou muito preocupada com meu futuro...o que vai ser de mim..acho que assim como já foi citado, esse nossos sentimentos tem muito a ver com nossa criação..não que isso seja o causador da nossa infelicidade...nossas dúvidas, mas concerteza, a minha criação, por exemplo, eu admito hoje, que minha vida foi muito fácil...ganhei muitas coisas de mão beijada..a faculdade meus pais pagaram..ajudavam em tudo que precisava etc...ou seja, nunca precisei realmente me esforçar muuuito para manter algo, em lutar por um objetivo, em me desdobrar para conseguir algo...até me esforcei, mas sempre com aquela sensação de '' se não der certo alguém vai me ajudar e fazer por mim '' sabe? e outra questão é sobre a super proteção..MEU DEUS!!!!! isso é a pior coisa que os pais podem fazer aos filhos..claro que nem percebem isso...pois fazeem por amor...mas não tem noção de como estão pecando...não durante a infãncia...mas na vida adulta...pois isso gera pessoas inseguras, sem coragem de fazer as coisas...de FALAR as coisas que pensam..longe de mim estar criticando a educação de alguém, só falo isso pois eu vejo em mim este reflexo..e tbm jamais falaria isso a meus pais...mas tenho CERTEZA que isso está diretamente relacionado com a minha situação atual..eu não sei que quero para mim..não tenho certeza de nada...do que vou fazer no futuro...estou simplesmente vendo a vida passar...é muito triste...

Kelly Phoenix disse...

Eu fiquei aqui refletindo com vc enquanto lia seu comentário... Imagino que muitas pessoas se identificaram com uma parte ou outra, inclusive eu. Mas, chovendo no molhado, acho que nunca é tarde pra recomeçar... Eu também me lembro dos meus primeiros dias na faculdade, pensava que com 25 anos estaria "bem-sucedida", com família encaminhada e esse monte de coisinhas que a sociedade planta no inconsciente da gente... E vivi frustrada um tempo, até entender que cada pessoa tem o seu ritmo, que nunca é tarde para nada e jamais podemos nos comparar com outras pessoas. Eu concluí que, na minha vida, "tudo" aconteceu um tanto tarde em relação às outras pessoas, (por exemplo, meu primeiro beijo foi aos 17 anos). Hoje, a maioria das minhas amigas têm namoros de mais de 2 anos, algumas são casadas e já têm filhos, mas em compensação, em outras áreas da vida delas, nenhuma foi tão longe ou continua lutando como eu. Então, amiga, a questão aqui é parar pra refletir e ver QUEM VOCÊ É realmente; se não atingiu as perspectivas que tinha para essa fase, quais quer a partir de agora, qual o caminho mais curto e o mais certo (que nem sempre são a mesma coisa). Pode ir para a área administrativa, mas se não gostar disso vai se frustrar novamente; só que, se gosta mesmo da área estética, deveria estudar possibilidades... E eu imagino que deva ser complicado... A maioria das pessoas se atém mais a preço mesmo, não importa se o serviço é "meia-boca". Elas não entendem do processo, logo, só importa o resultado. Uma solução, agora falando como publicitária, seria vc ter feito um estudo de público que, pelo que percebo nas suas linhas, seu público adequado seria classes A e B. Vc deveria priorizar localização, criar uma imagem visual (logotipo, cores "clean", que transmitam leveza e saúde tais como branco, verde alga, lilás...) e "promoções" para que o seu público te conhecesse (lembrando que promoções para público A e B nada tem a ver com as promoções para classe C e 'nova classe média'). Enfim, aqui só um comentário profissional... E, por fim, concordo com o que vc falou da superproteção; observo isso também aqui em casa e, de uma forma ou de outra, os filhos sempre saem 'desprotegidos' no final, pq não aprendem a lidar com as coisas práticas do mundo e os pais se esquecem que estão criando os filhos para o mundo, e não para eles...
Espero que vc supere tudo isso, na sua idade é normal tanta reflexão, não falta muito para eu também chegar ao famoso "retorno de saturno" e, certamente, toda conquista ou suposto fracasso é multiplicado por 100 nessa fase. Sucesso e lembre de recomeçar, nada é tão em vão que não se possa extrair algum aprendizado.

wytor venancio disse...

Tenho 20 anos. A algumas semanas atrás resolvi mudar o meu "objetivo da vida" novamente. Não sei o que passa na minha cabeça. Tem momentos que quero ser policial e estudar pra passar em um concurso, ou ser banqueiro, tem momentos que penso em desistir da faculdade, queria que tudo tivesse uma explicação. A explicação que eu mais desejo saber é por que eu sou assim ? Sou tão diferente assim ? Meus pais não se orgulham de mim e me sinto o mero "estrume" sobre a terra, sem utilidade, sem objetivo, sem destino. Minha namorada sonha em ser nutricionista, Meu melhor amigo sonha em ser engenheiro. Por que eu não tenho perspectivas? Até hoje não sei em que sou bom. Sinto um desejo enorme de provar para as pessoas que valho algo. Mas nem eu mesmo sei o valor que tenho. será que foi falta de apoio? falta e acompanhamento na minha infância? Será que meus pais vivem muito distantes de mim?
Eu ja quis ser tantas coisas. que no fundo o que eu realmente quero. o que eu realmente desejo.É ser alguem, ser visto. me sentir amado. me sentir alguem . Queria ser alguém em que meu pai se orgulhasse. De certa forma estou animado pra um concurso que vai ter na minha região. mas estou triste por que sei que daqui alguns dias, minha cabeça vai mudar;
Provavelmente ninguém vai ler o que eu escrevi. mais eu precisava falar com alguem. mesmo que esse alguém não exista .

Kelly Phoenix disse...

Eu li, Wytor. E eu não sei bem o que eu possa te falar, não creio que as minhas palavras possam te auxiliar, mas... Acho que vc não precisa saber o que quer. Eu já me senti assim e ainda me sinto, às vezes, quando penso no que (não) estou fazendo da minha vida, no que já quis e nem sei mais se quero... Mas, uma coisa é certa: você não precisa corresponder à expectativa de ninguém. E se vc mesmo não tiver expectativas, não tem problema, porque isso pode te dar mais liberdade no agir. Importa vc se conhecer, amar onde está e a si mesmo. E daí se vc não sabe que profissão quer? Há pessoas que não se enquadram em nenhuma. Aliás, as profissões são mais uma forma de nos classificar. A faculdade? Muita gente a frequenta por obrigação, para ter um diploma. Acho que o que vc não pode é desistir de você, pois mais cedo ou mais tarde vai descobrir o seu caminho. E, por mais incomum que ele possa parecer, se tiver apenas a sua própria aprovação, já está de bom tamanho. Porque é isso que importa, Wytor. Não interessa se a gente não sabe o que quer, podemos morrer amanhã. Importa vivermos o hoje com intensidade, procurando ser feliz... São nessas pequenas coisas que a gente descobre o que quer de verdade.
Espero que leia isso e que te faça refletir, de alguma forma. Obrigada pela visita ao blog e muito sucesso na sua vida.
Com carinho, Kelly

Anônimo disse...

Olha amg recorre a deus' foi a melhor coissa q fiz Quando tava na mesma situação q vc, i garantoo q nao vai se arrepende... ;)

Milton disse...

Fantástico o que você escreveu!!!

Kelly Phoenix disse...

Obrigada! :)

Anônimo disse...

Nao acredito em conhecidencias e sim que tudo tem um motivo na nossa vida, seja positivo ou negativo, e buscando uma resposta pra essa pergunta constante na minha vida ``o que quero da vida?`` cheguei ate aqui. Tenho 27 anos e passo por uma fase muito dificil, nao consigo me ver como nada, na.verdade nao tenho expectativa de vida, é muito triste e enloquecedor olhar ao redor, pra tras e ver que nessa idade nao tenho nada, nao tenho um.trabalho, nao terminei a faculdade, nao me sustento, enfim, doi, nao por inveja, de forma alguma, mas doi ver as pessoas seguindo, tendo suas conquistas, melhor, dando certo, dando rumo na vida, enquanto nao.consigo finalizar nada, as vezes quero uma coisa, depois mudo, minha mente bombardeada de questionamentos, informacoes que nao consigo lidar, faltando um semestre pra me formar em fisio, n quero.mais ir, na verdade n me identifiquei, estudo pra comcurso sem animo, penso em faz medicina mas o medo d n.passar me atormenta ainda mais por minha idade, enfim minha vida ta um.caos, fora a pressao das pss, na velha frase, `` vc precisa saber oq vc quer da.vida`` , da vontade de chorar,.sumir, pra q tanta pressao, pq tem q ser tudinho igual, como.um roteiro d filme, ja tive depressao ha 7 anos quando tentei suicidio, gracas a Deus encontrei um refugio e amparo no espiritismo, n quero entrar em depressao novamente, pois é muito dificil lidar com tudo, se sentir um nada, no meio do todo. Obrigado por suas palavras e pelas pessoas que comentaram. A.E

Kelly Phoenix disse...

Queridx A., quando leio mensagens como a sua sempre fico meio perdida sobre como proceder, pois tudo o que posso lhe dar são minhas palavras. Então, gostaria de dizer que nunca está sozinhx, existem muitas pessoas passando pelo mesmo e, como vc mesmx diz que nada é por acaso, conforte-se em saber que pode superar isso e futuramente triunfar sobre o que agora te atormenta. Nós somos seres diferentes e por isso mesmo, não precisamos atender aos padrões sociais. O que vc precisa é verificar o que te faz feliz - e não se force a encontrar isso em uma profissão, na força de trabalho ou nos bens materiais - o sucesso não está nas coisas "óbvias" que a toda parte se apregoa - sucesso é vc olhar no espelho de manhã e ter orgulho de si; sucesso é vc olhar pra trás e decidir fazer diferente a partir de agora... Enfim, há mil definições para sucesso. Apenas encontre as suas. Não precisa nem buscar, elas aparecerão naturalmente. Apenas não ligue tanta importância para isso de ter que seguir determinações sociais, alheias ao que deseja de verdade, pois isso só nos faz infelizes. Conforte-se no espiritismo, em Deus e nas coisas belas da vida, que são muitas. Lamento não poder auxiliar mais, todavia tenho certeza que vc é capaz de ser feliz e encontrar o seu caminho. Felicidades!

VICTOR LUCAS disse...

o meu problema é que tenho 18 anos de idade, e na minha adolescencia nao bebi, nao fumei, nao fui a festas, nao sai de casa, nao fiz nada, nem mesmo namorar, agora comecei a namorar uma garota que já disse ter sonhos de casar, eu nao quero deixar ela triste dizendo que nao quero casar, mas se me casar, sei que nao vai durar, nao sei o que quero do futuro, esse texto foi bom apenas pra eu saber que o lado bom de nao saber onde se quer ir, é ter a liberdade pra ir pra onde quiser, porém... o erro pode aparecer, e esse medo do erro faz toda a diferença...

Kelly Phoenix disse...

Oi, Victor. Pois bem, você é muito jovem e não deve casar mesmo. Acho humano de sua parte não querer magoar a garota, mas vai magoar mais se seguir pelo caminho que não quer (casar e não durar). Um casamento precisa de um relacionamento maduro e vocês são muito jovens, precisam fazer muitas coisas antes de dar esse passo.
Tenho um amigo que assim como vc não fez nada dessas coisas usuais que se faz na adolescência. Até pouco tempo atrás ele se sentia muito mal, por se ver "diferente". Mas, Victor, não é nada disso! Quem disse que precisamos seguir sempre tudo o que nos ditam? Nem todas as pessoas beijam e transam na adolescência, nem todos experimentam drogas, nem todas as meninas nem o corpo magro nem os meninos são atléticos. Tudo são convenções. E cabe a nós aceitá-las ou simplesmente não aplicá-las em nós, por ver que não é o melhor pra gente. Isso se chama autonomia.
Você não deve satisfações a ninguém, só à sua consciência. Jogue sempre às claras consigo mesmo que não tem chance de se arrepender profundamente depois. E, por fim, relaxa... Se eu pudesse voltar a ter sua idade, veria as coisas com mais leveza, pois é exatamente nesse momento que vc pode se permitir errar (mas não se case, deus u livre!). Felicidades em seu caminho e que tudo dê certo pra vc, abração!

Paulo disse...

Olá, Kelly!! Estava a pesquisa algo no Google, que nem me lembro mais o que era, e achei um link para esta postagem, que não tinha absolutamente nada a ver com o que eu estava procurando. Pois bem. Achei muito interessante sua vida. Eu também sigo nesse mesmo caminho. Caminho das incertezas. É bom e é ruim saber que não sou o único com esse problema, pode até não ser, mas para mim é. Me sinto até depressivo ás vezes. Uma coisa que está me matando é minha ansiedade. Já tranquei três cursos de faculdade. De todos, só concluí o primeiro semestre. Recursos Humanos, Gestão Pública e Administração. Agora vou começar Letras. Já passei por um batalhão de cursos rápidos na minha vida. Quem não me conhece, quando vai me conhecendo aos poucos, se surpreende comigo. Foram também tantos cursos de inglês que deixei de lado e ainda só sei o básico. Tantas aberturas de matrículas em academias. Sem falar no péssimo hábito que tenho há dois anos e não consigo largá-lo, o de trocar o dia pela noite. As pessoas geralmente dizem que sou louco. Quando meu patrão de disse brincando se eu podia ir trabalhar no dia do primeiro jogo da seleção brasileira, contra a Croácia, eu disse que sim. Preferia fazer algo de útil do que ficar parado em frente à tv. Fui o único funcionário a trabalhar durante o jogo, os outros chegaram uma hora após o término do mesmo. Ele disse que não sou desse planeta, que há algo errado em mim. Ele está certo. Há algo muito errado em mim mesmo. Só não sei o que é. Nem tenho esperanças de saber o que é. O pior de tudo é que fiz exames para ver se identificavam algum problema no cérebro e nada. Foi até legal encarar aquele tubo gelado enorme hahaha e flashes nos meus olhos, além de relaxar um pouquinho no sanatório com um monte de agulhinhas enfincadas na minha cabeça com uma geleia fétida.

Kelly Phoenix disse...

Olá, Paulo. Pois é, Foucault já dizia que a definição de loucura não existe para classificarmos os loucos, mas disciplinar os "normais". Quem foge de um determinado padrão é estranho, esquisito, errado e sofre julgamentos. Acho que não é necessário que vc identifique algo no seu cérebro para se dizer normal ou anormal, nem que tenha expectativas de agradar ao mundo e ser como os outros. Busque ser vc mesmo, apenas, se isso não prejudicar ninguém já estará fazendo a sua parte. Um abraço, e não encuque com nada!!

Anônimo disse...

E eu que estou com 26 anos, me formando em geologia. Antes ainda fiz 2 anos de química, não gostei e troquei pra geologia. Gostei de estudar, mas nunca soube bem em qual área da geologia me encaixar. E apesar de achar interessante a área, acho que nunca tive aquele tesão que vejo que meus colegas tem. Estou realmente preocupada, achei que tinha me encontrado, mas agora que estou me formando sinto que não tenho certeza de mais nada. Pensei em mudar de área novamente, cursar nutrição, pois de uns anos pra cá tenho me dedicado a manter uma vida saudável, e acho que gostaria de contribuir para que as pessoas também passassem a ter uma vida saudável. Porém tenho medo de investir nessa mudança, me sinto frustrada e não sei o que fazer.

Postar um comentário